O Fichamento

NORMAS de formataçao

Veja também: Sugestões de Temas

Veja também: Como começar a Investigação Científica?

Veja também: Procedimentos Iniciais para a elaboração do trabalho acadêmico.

Veja também: Como elaborar seu próprio trabalho acadêmico: (monografias, dissertação, teses, tcc´s, etc.)

Veja também: Como formatar seu próprio trabalho acadêmico: (monografias, dissertação, teses, tcc´s, etc.)

Baixar: modelo de fichamento

A leitura de textos teóricos exige capacidade de interpretação e sistematização. Para tanto, existem técnicas de leitura que são, também, técnicas de pesquisa. Nesse aspecto, o fichamento é procedimento importante na organização de dados integrantes da efetivação da pesquisa de documentos. Ele serve para arquivar e organizar as principais informações provenientes de leituras, devendo permitir um fácil acesso aos dados fundamentais para a elaboração do trabalho. A forma de registrar as informações nas fichas depende da organização de cada leitor, podendo ser utilizadas as tradicionais fichas de cartolina pautada, a folha comum de um caderno ou, mais modernamente, fazendo-se uso de um banco de dados de um computador. O importante é que as informações estejam bem organizadas, de modo a facilitar o acesso às mesmas. De acordo com diferentes autores, o fichamento deve conter a seguinte estrutura mínima:

a) cabeçalho:

pode ser dividido em apenas dois campos:

o primeiro indica o assunto;

o segundo, a classificação.

Exemplo:

1 O Estado

1.1 Concepções de Estado;

b) referência:

No caso de um livro(1), a referência deve apresentar a autoria, título da obra, local de publicação, editora e ano de publicação, como segue, no exemplo: CHIZZOTTI, A.

Pesquisa em ciências humanas e sociais. São Paulo: Cortez, 1998.;

c) conteúdo:

Depende do modelo de fichamento, podendo ser: fichamento de transcrição textual, fichamento de resumo e fichamento de comentário.

d) Fichamento de transcrição textual: Conforme a Associação Brasileira de Normas Técnicas (2001a), a transcrição textual é chamada de citação direta, pois reproduz literalmente os conceitos do autor consultado.

Veja exemplo:

1 O Estado

1.1 Concepções de Estado

OLIVA, A. Conhecimento e liberdade: individualismo x coletivismo. Porto Alegre: EDIPUCRS, 1994.

“Não há como negar que as ciências sociais suscitam problemas ontológicos especiais” (p. 62).

“O holismo radical não se limita a reivindicar a existência de todos: defende também uma ontologia hierarquizada segundo a qual o indivíduo é totalmente determinado – no que é, pensa e faz – por estruturas e processos subsistentes em coletivos ou todos” (p. 92).

Fichamento de resumo: trata-se de uma síntese, das principias idéias do autor contidas na obra. Utilizam-se as idéias do autor, escrevendo-as livremente com as próprias palavras.

1 O Estado 1.1 Concepções de Estado OLIVA, A. Conhecimento e liberdade: individualismo x coletivismo. Porto Alegre: EDIPUCRS, 1994.

O autor apresenta e discute os fundamentos filosóficos de um projeto de liberalismo ético-político, tendo como núcleo a idéia de liberdade. Trata-se, portanto, de uma séria crítica ao holismo ou coletivismo e de uma defesa da liberdade do indivíduo concreto, sem absolutizar o individualismo.

Fichamento de comentário: é um fichamento descritivo, com comentários abordando a obra inteira ou parte dessa obra.

1 O Estado

1.1 Concepções de Estado

OLIVA, A. Ontologia: os descaminhos na busca da substância social. In:______. Conhecimento e liberdade: individualismo x coletivismo. Porto Alegre: EDIPUCRS, 1994. p. 15-41.Defende a tese de que o holismo, historicamente, apenas tem servido como dispositivo de legitimação para o poder exarcebado nas mãos do grupo encastelado no aparato do Estado.

Assim, o fichamento tem como objetivo permitir armazenamento de dados e/ou informações de documentos, no todo ou em parte, para posterior utilização, segundo os interesses do pesquisador.

Modelo-padrão para fichamento de textos

UMA INTRODUÇÃO À ARQUIVOLOGIA

I - Sobre o ponto de partida do autor.

II - O problema central enfrentado pelo autor.

III - Sobre a estrutura do argumento principal do autor.

IV - Sobre a resposta dada pelo autor ao problema central que apresenta

V - Sobre as possibilidades críticas quanto a argumentação do autor

V.1 - crítica interna (admite o ponto de partida, mas questiona o argumento principal e/ou a conclusão).

V.2 - crítica externa (não admite o ponto de partida, logo questiona-o e/ou por conseqüência o argumento principal e/ou a conclusão).

ROTEIRO DE FICHAMENTO

Um fichamento é um trabalho intelectual, individual, onde o aluno tem oportunidade de sistematizar suas leituras, de tal forma que tenha consigo um material de consulta permanente, ao qual ele poderá recorrer em diferentes momentos de sua vida acadêmica ou profissional. Para tanto, com base na literatura sobre o assunto, estamos propondo um roteiro básico de fichamento que busca garantir uma leitura exaustiva, qualitativa e organizada dos textos. Esclarecemos contudo, que esse roteiro serve de orientação no contexto das disciplinas ministradas por nós no Curso de Arquivologia da Universidade de Brasília. Evidentemente, outros professores poderão adotar orientações diferentes.

I. Aspecto formal

1. Referências bibliográficas completas, contendo: - Autor: SOBRENOME, nome. - Nome da obra ou artigo; edição se houver. - Local da edição (cidade). - Editora. - Data da publicação. - As páginas, se tratar de artigo ou capitulo de livro. Nesse caso, citar o livro de onde foi retirado o capítulo, indicando o organizador (se for obra coletiva) ou o autor. Obs: Consultar na biblioteca a norma da ABNT mais recente a respeito.

II. Conteúdo

1. Resumo do texto. Resumo do capitulo/livro/artigo: o assunto do qual trata o artigo ou livro. Antes de fazer o resumo, deve-se ler todo o texto. Utilize suas próprias palavras e não as do autor. O resumo deve ser, de preferência, breve. Deve indicar, de forma global, não detalhada, qual é o assunto, os procedimentos metodológicos e as conclusões do autor.

2. Síntese seletiva das idéias/conceitos/definições desenvolvidas no texto. Fazer sínteses em torno de alguns temas de interesse do aluno e/ou de temas destacados pelo autor, inclusive conceitos; temas/conceitos relacionados com a disciplina para a qual o texto foi lido. Pode-se:

a) fazer citações diretamente do autor. Nesse caso, deve-se pôr a citação "entre aspas", indicando a(s) página(s);

b) sintetizar a idéia do autor utilizando suas próprias palavras.

OBSERVAÇÕES IMPORTANTES SOBRE AS ClTAÇÕES:

NÃO CONFUNDIR AS OPINIÕES DO AUTOR DO TEXTO COM AS DE OUTROS CITADOS POR ELE.

O fichamento deve deixar claro quando se trata da idéia do autor e quando este se apóia em outros para referendar o seu ponto de vista.

Ex: "O autor [pode-se usar em vez de "autor" o seu sobrenome] citando Silva, afirma que..." ou "Segundo Couture, com base em estudos de Rousseau e Martineau, a Arquivística pode..." ou "Referindo-se à pesquisa desenvolvida por Duranti sobre a Diplomática dos documentos contemporâneos, o autor acrescenta os resultados de sua própria pesquisa..." ou "Buscando fazer um inventário das diversas definições de instrumentos de pesquisa, o autor concorda com aquelas fixadas por Silva, que são as seguintes:"

3. Comentários pessoais a título de conclusão sobre o texto em exame, utilizando suas próprias palavras e não as do autor.

Nessa última parte, o aluno deve fazer um esforço de reflexão acerca do texto lido, tentando relacioná-lo a outros textos, às aulas ou às discussões e, se for o caso, indicar seus méritos ou falhas.

Notas:

1 Se a fonte de pesquisa for outro tipo de documento a Associação Brasileira de Normas Técnicas (2000) deverá ser consultada para a correta ordenação da referência.

Fonte: Extraído do site http://www.pmatozo.hostmidia.com.br Fonte: elaborado por Vilson Leonel, professor da Unisul, membro do Núcleo de Metodologia Científica, mestrando em educação pela Unisul.


Deixe seu comentário abaixo: